Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Por que Michael Saylor, CEO da MicroStrategy, acredita tanto no bitcoin?

17/12/2020 - 10:23
Traduzido e editado por Daniela Pereira do Nascimento
No mundo dos software empresariais, sistemas de inteligência comercial competem para ver quem é mais pacífico e menos controverso. Então por que uma das maiores fabricantes de soluções de inteligência comercial do mundo está comprando cada vez mais bitcoin? A resposta pode ser que Michael Saylor, fundador da MicroStrategy, conseguiu ler os sinais (Imagem: Unsplash/@cliffordgatewood)

Em termos de notícias sobre o bitcoin, uma das maiores histórias de 2020 foi que a MicroStrategy comprou bitcoinmuito bitcoin — e, pelo que tudo indica, esse é apenas o começo, pois a empresa está se preparando para aumentar agressivamente sua alocação de bitcoin em suas reservas já grandes.

Este ano, a MicroStrategy gastou cerca de US$ 475 milhões em bitcoin e Michael Saylor foi considerado um dos maiores defensores da criptomoeda nas redes sociais.

A tese de investimento em bitcoin da MicroStrategy

Quem é Michael Saylor?

Michael Saylor, 55, fundador da MicroStrategy, se formou no Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) em 1987, com especialização dupla em Ciências, Tecnologia e Sociedade, bem como Aeronáutica e Astronáutica.

Espera-se que a legalização das apostas esportivas seja muito significativa aos impostos

Foi no MIT que Saylor conheceu Sanju Bansal, cofundador da MicroStrategy. Após sua graduação, Saylor trabalhou alguns anos como consultor de simulações computacionais para o Federal Group e Dupont antes de ele e Bansal fundarem a MicroStrategy em 1989.

O principal negócio da empresa como uma vendedora de software são as aplicações empresariais de inteligência comercial.

A plataforma MicroStrategy possui painéis interativos, relatórios formatados, simuladores e consultas ad hoc, todos desenvolvidos para ajudar empresas a tomarem decisões mais fundamentadas ao usarem seus dados.

Michael Saylor Hope.com
Michael Saylor comprou o domínio hope.com, que agora redireciona a uma página da MicroStrategy exaltando o bitcoin.

Em 1992, a empresa realizou um acordo de US$ 10 milhões com McDonald’s como seu primeiro grande cliente e, a partir de então, não olhou mais para trás.

Hoje, a MicroStrategy possui mais de quatro mil clientes, tanto no setor público como no privado, incluindo Coca-Cola, Johnson & Johnson e Starbucks. Está listada na Nasdaq (MSTR) e é negociada no Global Select Market (NGQS).

A capitalização de mercado da MSTR é de US$ 2,65 bilhões e a empresa teve altas taxas de renovação de grandes clientes de suas soluções de software e cada vez mais receita de serviços de licença e suporte.

Saylor liderou a empresa em meio a acusações de fraude contábil, uma onda recente de demissões de executivos e inúmeras tendências voláteis na indústria de software. Hoje, a MicroStrategy é uma história autêntica de sucesso e a empresa passou por um forte período de crescimento nos últimos meses.

A MicroStrategy e o bitcoin

Saylor possui cerca de 24% das ações da MicroStrategy, mas controla 72% do poder de votação da empresa em uma classe de participações, na qual ele possui votos adicionais.

Em 2020, sua obsessão pessoal com o bitcoin se cruzou com sua vida empresarial e Saylor liderou a MicroStrategy para se tornar a empresa listada em bolsa mais “pró-bitcoin” de todas.

Em 11 de agosto, a empresa finalizou sua aquisição inicial de 21.454 BTC a um preço total de US$ 250 milhões (em que cada bitcoin custou cerca de US$ 11.653). Essa aquisição foi seguida por uma compra de 16.796 BTC por US$ 175 milhões (a US$ 10.419 por bitcoin) em setembro de 2020.

Depois, no dia 5 de dezembro, Saylor tuitou que a empresa havia realizado sua terceira aquisição de bitcoin, confirmando ter comprado mais 2.574 BTC por US$ 50 milhões em dinheiro (a US$ 19,427 por bitcoin).

No total, a empresa gastou US$ 475 milhões comprando bitcoin em 2020 mas, neste momento, o valor das posses em bitcoin da MicroStrategy é de US$ 868,5 milhões devido ao forte crescimento de preço do bitcoin neste quarto trimestre.

Assim, a empresa teve um rendimento fantástico sobre seu investimento.

Desde a primeira aquisição de bitcoin pela MicroStrategy em 11 de agosto, o preço do bitcoin aumentou 98%, de US$ 11,6 mil para US$ 23 mil (Imagem: BNC/BLX)

A venda de notas conversíveis da MicroStrategy

Mas ainda vinha mais por aí. Em 11 de dezembro, a MicroStrategy anunciou ter arrecadado US$ 650 milhões em uma venda de notas seniores conversíveis que foram anunciadas para permitir que a empresa alocasse mais bitcoin à sua reserva corporativa.

Em um comunicado de imprensa, a MicroStrategy estimou que os lucros líquidos da venda, de US$ 634 milhões, estariam disponíveis para a alocação de bitcoin, de acordo com a política de reserva de tesouraria da empresa.

Anteriormente, MicroStrategy havia dito que a arrecadação seria próxima dos US$ 520 milhões, mas os números aumentaram após um comprador ter realizado uma opção que a garantiu mais US$ 100 milhões.

Bull Market Wall Street Mercados
A postura favorável ao bitcoin de Saylor o fez ser considerado como o maior “touro” (ou “bull”) de bitcoin do ano de 2020 (Imagem: Reuters/Mike Segar)

Por que Michael Saylor acredita tanto no bitcoin?

Então por que Saylor é um “touro” de bitcoin? 

“Esse investimento reflete nossa crença de que o bitcoin, como a criptomoeda com maior adesão no mundo, é uma reserva de valor dependente e um ativo atrativo de investimento com mais apreciação a longo prazo do que apenas possuir dinheiro”, disse Saylor após o bitcoin ter se tornado o principal ativo de reserva da MicroStrategy.

O bitcoin também agrada a identidade de Saylor como um defensor da tecnologia. Em setembro, ele profetizou:

O bitcoin é um enxame de marimbondos servindo a deusa da sabedoria, alimentando o fogo da verdade, e crescendo cada vez mais inteligente, rápido e forte por trás de um muro de energia criptografada.

Outras reflexões oraculares que ele fez sobre o bitcoin foram:

– um mercado descentralizado e de transferência financeira 24/7:

Durante o feriado prolongado de Ação de Graças, o #bitcoin operou ininterruptamente por 113,5 horas vs. 3,5 horas para mercados de capital americanos. 

Redes da Google, Apple, Facebook e Amazon também operaram ininterruptamente. Ninguém vai querer uma disponibilidade de 3,1% para sua rede monetária.

– uma commodity que se tornará essencial para uma indústria:

A mesma lógica que faz com que engenheiros prefiram aço, alumínio e oxigênio para desenvolver, voar e respirar me faz preferir #bitcoin para poupar.

– uma versão melhorada do ouro que rapidamente dá liberdade financeira a investidores:

#Ouro apresenta liberdade financeira a cavalo, buggy e carruagem.

#Bitcoin é um carro a vapor alimentado por cripto. Quando o sistema monetário de trânsito em massa do Estado moderno quebrar, poderemos voltar para uma economia impulsionada por cavalos, burros e mulas, mas eu duvido.

Investidores da MicroStrategy têm suas dúvidas

Após as aquisições de bitcoin em agosto e setembro pela MicroStrategy, investidores gostariam de saber o que estava por trás da estratégia de tesouro da empresa — e aproveitavam a oportunidade em uma sessão de perguntas e respostas no dia 16 de novembro para perguntarem a Saylor e a sua equipe executiva sênior sobre o que tudo aquilo se tratava.

Quando perguntado por que ele achava que comprar bitcoin agora era uma boa ideia, Saylor respondeu que, ao ser a primeira, MicroStrategy teve a vantagem de “comprar os bitcoins a um preço mais baixo”.

Ele também argumentou que o apoio à criptomoeda por uma grande empresa como a MicroStrategy iria mudar a percepção de que “grandes instituições não iriam comprar ou reter bitcoin em seus patrimônios”.

Ao fazê-lo, Saylor disse que a MicroStrategy abriu as portas para que outras grandes instituições também seguissem seus passos, agora que o lacre da estratégia de “bitcoin como tesouro” foi quebrado.

Ao seu ver, o atrativo do bitcoin só foi fortalecido pelo sucesso da MicroStrategy e que acrescentar BTC ao seu patrimônio iria encorajar outras instituições a “entrarem para a rede monetária do bitcoin”, o que resultaria no aumento do seu valor.

Saylor revelou que a MicroStrategy também estava analisando uma forma de integrar o bitcoin e a tecnologia blockchain em seu conjunto de produtos: 

Quando você apresenta uma nova ideia, seguir com ela sem trazer à tona ativos existentes provavelmente não irá terminar bem.

Vamos usar os produtos Hyper.Now e Intel.Now e toda aquela oferta inovadora e multilocal de software-as-a-service (SaaS) para pensar em formas de apresentar uma inteligência comercial que seja de interesse da comunidade bitcoin e, talvez, para a comunidade como um todo conforme esse negócio evolui.

Saylor esclareceu que sua empresa ainda não começou a desenvolver soluções de análises com foco em bitcoin:

Ainda não existe algo que tenhamos certeza de que faça sentido comercializar, mas achamos que existe um grande universo em expansão de oportunidades de inteligência em torno dessa exclusiva inteligência de bitcoin proveniente do blockchain.

Iremos explorá-las e buscar por formas eficazes e inovadoras de integrá-las a nosso negócio atual e aplicá-las.

A reação das finanças tradicionais aos investimentos em bitcoin da MicroStrategy

Desde a aquisição inicial de bitcoin pela MicroStrategy, o preço da ação MSTR disparou. Em novembro, por exemplo, o preço atingiu US$ 342,77, o melhor em 20 anos.

Neste momento, o preço do MSTR está em US$ 299,21 — um aumento dos US$ 123,62 em 10 de agosto, um dia antes da primeira compra de bitcoin.

Analistas parabenizaram a oportunidade de ação da MSTR como uma empresa de software e análise bem-sucedida, que vem junto com uma estratégia de tesouraria que pode ser atrativa aos curiosos em bitcoin. Sobre a ação da MicroStrategy, Citron Research disse:

Investidores estão adquirindo uma grande empresa de software com desconto e uma opção gratuita de compra por obter uma crescente arca do tesouro de bitcoins.

O grupo de pesquisa também sugeriu que é a única “forma segura e de custo-benefício” de obter exposição ao bitcoin seria via MicroStrategy.

Russell Investments, desenvolvedora de soluções de investimento e de índices de mercado sediada em Seattle, comprou 60.546 ações da MSTR em 30 de setembro. Isso fez com que a posição da MicroStrategy aumentasse 72%. Em 2018, a empresa havia apoiado o bitcoin em uma publicação:

Embora muitos estejam questionando os pilares do bitcoin, talvez o mais importante seja o questionamento do bitcoin sobre os pilares dos bancos centrais.

[…] O bitcoin é tecnologicamente interessante, pois pode sustentar uma “nova era”, ter a interpretação de “moeda do futuro” e possuir as vantagens de ser menosprezado e desvalorizado por uma definição cética.

Renaissance Technologies, fundo de hedge especializado em fundos quant, também foi um grande comprador das ações MSTR nos últimos seis meses.

A empresa quadruplicou sua posição da MSTR desde junho e o analista Ryan Todd, do The Block, sugeriu que a onda de aquisições pode ter começado em resposta à afirmação do diretor financeiro da MicroStrategy, em 28 de junho, que a empresa poderia alocar parte de seu tesouraria em bitcoin.

A maior titular de ações da MicroStrategy é BlackRock Fund Advisors — que também é a maior gestora de ativos do mundo. A empresa reduziu seu número de ações da MicroStrategy em 5% este ano, mas ainda mantém uma participação de 14,79% na empresa.

Em 1º de dezembro, Larry Fink, CEO do BlackRock, disse que o bitcoin “chamou a atenção” de muitos e que a nascente classe de criptoativos pode “evoluir” para um ativo de mercados globais no futuro.

A aquisição de bitcoin da MicroStrategy parece ter feito a empresa sair de uma onda de quedas de preço de quase três anos. Conforme Ryan Watkins, pesquisador da empresa de dados cripto Messari, resumiu:

Nos últimos quatro meses, a MicroStrategy passou de empresa chata de software empresarial para empresa chata de software empresarial com uma gestão inovadora de tesouro para um fundo “daora” e alavancado que compra bitcoin.

O preço da ação da MicroStrategy reagiu positivamente às aquisições de bitcoin pela empresa.

Porém, o mercado pode estar começando a mudar sua percepção sobre a estratégia arriscada e agressiva de investimento em bitcoin da MicroStrategy.

Em 15 de dezembro, após o anúncio inicial da venda de títulos conversíveis, alguns analistas desclassificassem a ação da MSTR para “venda”.

Tyler Radke, analista do Citi, compartilhou suas preocupações de que o “foco desproporcional” de Saylor em bitcoin poderia fazer com que a empresa perdesse o foco de suas execuções principais e que havia “riscos incrementais” à história, sugerindo que as ações da MicroStrategy estavam sobrevalorizadas

Radke também se preocupou com notícias de que a gestão da MicroStrategy vendeu US$ 56 milhões em ações no mês passado — em que o maior vendedor havia sido Phong Le, diretor financeiro da empresa:

Vendas recentes e internas foram bem significativas e amplas, e sugere que ações podem estar sobrevalorizadas e que grande parte da equipe de gestão pode não estar tão otimista sobre o bitcoin ou sobre os aspectos fundamentais assim como o presidente/CEO Saylor.

Após a desclassificação do Citigroup, o preço da ação MSTR caiu 7,6% no dia 8 de dezembro.

Novo! Receba Grátis a Newsletter
Crypto Times
Uma newsletter que minera informação para você!

Autorizo o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.

Última atualização por Daniela Pereira do Nascimento - 12/03/2021 - 14:51

Pela Web