Citi alerta seus clientes sobre abordagem “agressiva” de bitcoin da MicroStrategy

09/12/2020 - 9:32
Traduzido e editado por Daniela Pereira do Nascimento
Citi considera abordagem da MicroStrategy “agressiva”, pois pode apresentar um empecilho a investidores de tecnologia (Imagem: REUTERS/Toby Melville)

Analistas do Citigroup afirmam que clientes devem vender ações da MicroStrategy (NASDAQ:MSTR), jogando um balde de água fria em uma ação que viu seu preço disparar após diversos anúncios relacionados ao bitcoin este ano.

O banco de Wall Street desclassificou sua recomendação de venda para a empresa baseada no estado americano de Virgínia — uma decisão que veio um dia após a MicroStrategy afirmar que iria aumentar suas apostas em suas recentes aquisições de bitcoin ao emitir títulos para comprar ainda mais bitcoin.

Em um comunicado aos clientes e obtido pelo The Block, Citi afirma que o recente rali de preço da ação da MicroStrategy foi “sobrecarregado” e descreveu seu plano de arrecadar US$ 400 milhões via notas conversíveis para comprar bitcoin como “agressivo” e, possivelmente, “um empecilho para investidores de software”.

Segundo o Citi (com ênfase do The Block):

Após a conclusão, MicroStrategy anunciou seu plano de emitir US$ 400 milhões em notas conversíveis para comprar mais bitcoins.

Embora a magnitude do investimento inicial em bitcoin da MSTR (cerca de US$ 450 milhões) tenha sido inigualável, pelo menos isso foi feito com dinheiro excedente e a um baixo preço (US$ 11 mil vs. US$ 19 mil). 

A emissão de novos títulos para financiar aquisições de bitcoin é agressiva e pode ser um empecilho para investidores de software, que podem ter receio de que agora possuem um negócio de gestão de ativos mais arriscado.

A desclassificação fez com que o preço da ação da empresa caísse — a ação da MicroStrategy caiu mais de 13,9% nessa terça-feira.

(Imagem: TradingView)

O anúncio da MicroStrategy veio após a notícia de que a empresa comprou US$ 50 milhões em bitcoin. Agora, suas posses estão acima de 40 mil BTC.

Tal iniciativa foi direcionada pelo CEO Michael Saylor, que se tornou o “queridinho” da imprensa cripto devido ao seu apoio ao bitcoin como uma reserva de valor e um ativo contra a inflação.

O banco disse que a venda recente das ações de gestão pode indicar que os altos escalões da empresa não estão alinhados com o mandato de bitcoin de Saylor.

Nos últimos dois meses, a empresa teve vendas de até US$ 50 milhões. A posição mais descomunal foi executada pelo presidente/diretor financeiro/operacional Phong Le, que vendeu quase toda a sua posição, segundo o banco.

(Imagem: Citigroup)

“Vendas recentes e internas foram bem significativas e amplas, e sugere que ações podem estar sobrevalorizadas e que grande parte da equipe de gestão pode não estar tão otimista sobre o bitcoin ou sobre os aspectos fundamentais assim como o presidente/CEO Saylor”, escreveram os analistas, acrescentando:

Também estamos preocupados de que a empresa possa estar perdendo seu foco na execução devido ao foco desproporcional em bitcoin vs. operação da empresa do CEO Saylor e sinais de deterioração do sentimento dos funcionários.

Novo! Receba Grátis a Newsletter
Crypto Times
Uma newsletter que minera informação para você!

Ao clicar no botão você autoriza o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.
theblockcrypto.com © 2020 - The Block Crypto, Inc. All rights reserved. Todos os direitos reservados.

Última atualização por Daniela Pereira do Nascimento - 12/03/2021 - 14:52

Cotações Crypto
Pela Web