Uma das maiores empresas de investimento da China aloca em bitcoin, ether e polkadot

19/06/2021 - 16:31
A receita do sucesso é sempre a mesma: estudar a fundo o mercado e entender quais soluções os projetos podem resolver antes de investir (Imagem: Continue Capital)

Uma das empresas de capital de risco mais bem-sucedidas da China — talvez a mais bem-sucedida — é a Continue Capital. Seu nome, em mandarim, soa como o termo “touro garantido”, como em um mercado de alta (“bull market”), explica o Decrypt.

Os dois sócio-fundadores Hongjiang Li (ou “Pima”) e Xiahong Lin estão entre os maiores investidores chineses dos projetos cripto OmiseGo, Zilliqa, Polkadot e ICP.

Ambos são antigos investidores em bitcoin (BTC). Pima já minerou bitcoin em casa enquanto trabalhava em uma das maiores empresas chinesas de desenvolvimento imobiliário.

Lin é um grande entendedor da tecnologia blockchain e da Ethereum, tendo desenvolvido Bodhi, um mercado descentralizado de previsão.

Eles se conheceram em 2016 e fundaram a Continue Capital no mesmo ano. “Nós dois somos extremamente complementares”, disse Pima a Shuyao Kong, do Decrypt.

“Lin é aficcionado pelo aspecto tecnológico e de engenharia de cripto enquanto meu ponto forte é a avaliação de risco e união da comunidade.”

Cada investimento realizado pela Continue foi um esforço conjunto de ambos os fundadores que nunca precisaram de capital externo nos últimos seis anos.

“Nunca quisemos ser investidores em tempo integral”, explicou Pima. “Porém, conforme nos aprofundávamos em cripto, havia a necessidade de dinheiro institucional e de impulsionamento do ecossistema.”

Lin acrescentou: “na verdade, a indústria nos impulsionou. Só precisamos demonstrar nossa confiança e o restante se resolverá”.

Na época em que começaram suas operações, a Ethereum decolou. Porém, perceberam que o maior obstáculo da indústria em atingir bilhões seria ou escalar a Ethereum ou encontrar uma alternativa.

“Muitas pessoas acham que nossos rendimentos vêm de nossos investimentos recentes”, disse Pima.

“Isso não é verdade. Acreditamos que o cerne de nossa tese e crença vem de estudos e pesquisas em 2016 e 2017, que nos fizeram perceber que, para fazer o ecossistema crescer, precisamos apostar na solução que resolva um problema real.”

Continue fez altas apostas em OmiseGo, uma solução de escalabilidade da Ethereum, e Polkadot e ICP, redes alternativas à Ethereum.

Apesar de, agora, serem nomes conhecidos, ninguém ousava investir nesses projetos durante o ciclo de baixa entre 2017 e 2019.

Shuyao questiona: “por que outras empresas de capital de risco da China não se deram tão bem?”. Não é novidade que grande parte dos investidores querem obter rendimentos rápidos. Afastam-se de projetos que exigem anos de dinheiro travado, necessário por grande parte dos projetos mais sólidos.

“Travamentos nunca nos assustaram. Se temos convicção em um projeto, ficaremos nele a longo prazo”, afirmou Lin.

Continue acredita que sua tese de investimento é bastante influenciada pela ideia de que as finanças descentralizadas (DeFi) irão crescer e ser uma força motriz da indústria cripto.

Lin afirma que, de um lado, investem em protocolos de primeira camada e, do outro, em DeFi. Ele e Pima acreditam que ambos terão crescimento exponencial e levarão cripto às massas.

Ambos são muito respeitados na indústria por conta de sua dedicação em preencher a lacuna educacional entre portfólios e comunidades.

“Queremos traduzir nosso conhecimento em algo que todos possam entender. Agora, existe muita assimetria de informações na comunidade. O varejo não entende o mercado cripto e, assim, são propensos a investir em moedas de cachorro”, afirmou Lin.

Pima é bem conhecido na plataforma chinesa Weibo, onde compartilha análises de pesquisa com a comunidade cripto local, que sofre com a alta regulação do mercado.

“Já que o mercado de capitais da China é menos maduro, estamos vendo diversos esquemas. Todos estão em busca de riqueza da noite para o dia. Além disso, a falta de participação institucional em cripto tornou o mercado chinês mais volátil e reativo”, explicou Pima.

Só duas andorinhas não fazem verão mas, sem dúvidas, a dupla inspira uma nova classe de jovens investidores em cripto, tanto no Oriente como no Ocidente.

“Quando você acredita o suficiente em cripto, a indústria irá te impulsionar”, explicou Lin.

Gostou desta notícia? Baixe o nosso app para ler, em apenas um clique, esta e mais de 150 matérias diárias.

Novo! Receba Grátis a Newsletter
Crypto Times
Uma newsletter que minera informação para você!

Autorizo o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.

Última atualização por Daniela Pereira do Nascimento - 19/06/2021 - 16:31

Pela Web