Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Alta de ações brasileiras não tem apoio nas projeções de curto e médio prazo, diz Franklin Templeton

09/06/2020 - 19:42
Mercados
“O movimento do mercado acabou sendo mais forte e rápido do que o esperado”, diz a gestora (Imagem: Pixabay/AhmadArdity)

A forte alta de algumas ações brasileiras nas últimas semanas não está amparada em fundamentos de curto ou médio prazo, avalia a gestora de recursos Franklin Templeton.

“Acreditamos que o movimento recente foi muito forte, dadas as incertezas ainda presentes no cenário econômico”, destaca Frederico Sampaio, chefe de investimentos no Brasil.

Em maio, o índice Ibovespa (IBOV) se valorizou 8,6% em reais. Em dólares, o índice MSCI Brazil (EWZ) subiu 10,2%, refletindo o recuo da cotação do dólar para R$ 5,34 (-1,82%).

“O desempenho de muitas ações não encontra sustentação nas perspectivas de seus resultados de curto e médio prazo. Pelo contrário. Vínhamos construindo um posicionamento gradual em empresas que considerávamos baratas em análises normalizadas e desconsiderando o múltiplo Preço/Lucro de curto prazo, mas o movimento do mercado acabou sendo mais forte e rápido do que o esperado”, diz Sampaio.

Ele lembra que as estimativas dos lucros das empresas listadas sofreram fortes revisões nos últimos três meses. “Partindo de uma estimativa de crescimento da ordem de 16% em 2020, migramos para uma estimativa de queda de -30,9%”, ressalta.

Chegou a nova newsletter Comprar ou Vender

As melhores dicas de investimentos, todos os dias, em seu e-mail!
Autorizo o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.

Última atualização por Gustavo Kahil - 09/06/2020 - 19:42