Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Glossário cripto: conceitos básicos

21/02/2020 - 13:00
Traduzido e editado por Daniela Pereira do Nascimento
Para muitos novatos do setor cripto, jargões da indústria podem ser uma grande barreira. Isso acontece àqueles que esperam lucrar com criptoativos. Confira muitos dos termos mais utilizados no universo cripto (Imagem: Freepik/vectorpouch)

Há tempos que criptoativos como o bitcoin chamaram a atenção do público, trazendo diversas pessoas para um só setor.

Desde entusiastas da tecnologia a instituições financeiras estão tentando entender como será o futuro cripto e como podem gerar lucro. Isso fez com que várias pessoas se interessassem em negociar cripto pela primeira vez.

Se você não tem experiência com compra e venda de valores mobiliários, por exemplo, tentar aprender a como negociar em cripto pode parecer com aprender a nadar na parte mais funda de uma piscina.

É para isso que criamos este glossário de conceitos fundamentais de negociação para te orientar conforme você começar a comprar e vender bitcoin, ether etc.

Conceitos básicos

Corretoras (“exchanges”)

Uma corretora é um mercado onde pessoas conseguem comprar e vender ativos. A NYSE, Bolsa de Valores de Nova York, por exemplo, é um lugar onde pessoas conseguem comprar e vender ações. Hoje, existem diversas corretoras de criptoativos e esse número está aumentando. Algumas das principais incluem:

Kraken, em São Francisco, na Califórnia;
Gemini, na cidade de Nova York;
Bitstamp, em Luxemburgo;
Bitfinex, em Hong Kong;
itBit, também em Nova York.

Todas as corretoras de criptoativos são diferentes. Algumas permitem que você compre e venda diferentes criptoativos, outras estabelecem preços diferentes para seus criptoativos listados e outras têm volumes diferentes de negociação, o que facilita a compra e venda de criptoativos.

A alta volatilidade histórica do bitcoin é um dos motivos pelo qual alguns são céticos em relação à capacidade do bitcoin atuar como uma reserva de valor (Imagem: Freepik/macrovector)

Preço de compra (“bid price”)

O preço de compra para um determinado ativo é o preço máximo que alguém está disposto a pagar pelo ativo. Você pode considerá-lo como o “lado da demanda” de “oferta e demanda”.

Preço de venda (“ask price”)

O preço de venda para um determinado ativo é o preço mínimo que alguém está disposto a vender o ativo. Você pode considerá-lo como o “lado da oferta” de “oferta e demanda”.

Diferença de preço entre compra e venda (“bid/ask spread”)

O “spread” compra/venda é a diferença entre o preço de compra e o preço de venda de determinado ativo. Essa diferença é o lucro que fazedores de mercado ganham ao comprar e vender o ativo em nome dos investidores. Conforme a liquidez de um ativo aumenta, o spread também aumenta.

Volatilidade (“volatility”)

Volatilidade é a dimensão de mudanças no valor de um ativo ao longo do tempo. Se o valor de um ativo flutua frequentemente a certo grau — ou seja, se for altamente volátil —, então é considerado um investimento de alto risco.

A alta volatilidade histórica do bitcoin é um dos motivos pelo qual alguns são céticos em relação à capacidade do bitcoin atuar como uma reserva de valor.

Volatilidade também é o que dá aos traders a oportunidade de lucro por meio de day trading (compra e venda de uma posição no mesmo dia) e swing trading (compra e venda de uma posição a curto e médio prazo).

A forma mais comum de armazenamento de criptoativos é a carteira, que permite que você realize “autocustódia”, ou seja, um custodiante externo não é necessário (Imagem: Freepik/upklyak)

Carteiras (“wallets”)

Quando se fala de gestão de criptoativos, é importante entender quem de fato tem posse de seus ativos. Se você os guarda em uma carteira — carteira de hardware, de software ou de papel — você controla suas chaves privadas e realmente têm custódia desses ativos.

Por outro lado, quando você compra e retém criptoativos em diversas corretoras, elas retém esses ativos em suas próprias carteiras. É por isso que algumas pessoas têm receio sobre corretoras centralizadas de criptoativos: se forem hackeadas, o dinheiro de seus investidores pode sumir do dia para a noite.

Medo de perder uma oportunidade (“FOMO: fear of missing out”)

FOMO é uma gíria moderna para um comportamento atemporal e irracional: achar que você está perdendo uma ótima oportunidade e, assim, mergulhar de cabeça em um investimento. No universo cripto, uma inexplicável afluência de compradores é resultado desse medo.

Medo, incerteza e dúvida (“FUD: fear, uncertainty and doubt”)

FUD é uma gíria moderna que é o “oposto” de FOMO: preocupação irracional de que um investimento ou setor específico pode fracassar. No universo cripto, liquidações inexplicáveis são resultados desse medo.

Novo! Receba Grátis a Newsletter
Crypto Times
Uma newsletter que minera informação para você!

Autorizo o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.

Última atualização por Daniela Pereira do Nascimento - 24/10/2020 - 18:16