Você conhece Compound Finance? Quase US$ 3,5 bilhões estão investidos no protocolo

02/02/2021 - 10:27
Traduzido e editado por Daniela Pereira do Nascimento
Quase US$ 3,5 bilhões em criptoativos está bloqueado no protocolo Compound Finance, incluindo o bitcoin, ether e DAI. Esse valor total bloqueado em contratos torna o Compound no terceiro maior protocolo, atrás de MakerDAO e Aave (Imagem: Twitter/Compound)

Compound Finance (COMP) é um protocolo não custodial de código aberto para a tomada e concessão de empréstimos, de forma descentralizada, na Ethereum.

As taxas de juros para a tomada e concessão de empréstimos são algoritmicamente provenientes com base na oferta e demanda do ativo.

Ativos ofertados a um mercado são representados por um balanço de tokens padrão ERC-20 (cToken), que fornece ao dono do ativo uma quantidade crescente desse token.

Conforme o mercado monetário acumula juros, como função da demanda pela tomada de empréstimos, cTokens se tornam conversíveis em uma quantidade crescente do ativo implícito.

Dessa forma, obter juros é tão simples como deter um cToken. Atualmente, existe suporte para empréstimo de nove criptomoedas na plataforma Compound Finance.

(Imagem: Compound Finance)

O protocolo Compound Finance foi fundado por Robert Leshner e Geoffrey Hayes em 2017 e lançado na Ethereum em setembro de 2018.

O projeto foi inicialmente fundado em maio de 2018 por meio de uma rodada “seed” (para impulsionar seu crescimento) que totalizou US$ 8,2 milhões, liderada pelos fundos Andreessen-Horowitz (a16z), Bain Capital Ventures e Polychain.

Outra rodada de financiamento “series A”  (para otimizar sua base de usuários e oferta de produto) totalizando US$ 25 milhões, liderada por a16z, que aconteceu em novembro de 2019.

A segunda versão do protocolo foi lançada em maio de 2019, em que a distribuição do token COMP aconteceu em junho de 2020.

Um total de 10 milhões de tokens ERC-20 foi emitido e distribuído da seguinte forma:

– 4.229.949 tokens enviados aos usuários do protocolo em um período de quatro anos;
– 2.396.307 tokens enviados a shareholders do Compound Labs, Inc.;
– 2.226.037 tokens enviados a fundadores e membros da equipe em um período de quatro anos;
– 372.707 tokens separados para futuros membros da equipe; e
– 775 mil tokens alocados para promover a governança da comunidade.

Compound é gerenciado por uma comunidade descentralizada de detentores de tokens COMP e seus delegados, que propõem e votam em atualizações ao protocolo.

Qualquer endereço com mais de 100 mil COMP delegados à plataforma pode propor ações de governança, que são códigos executáveis.

Quando uma proposta é criada, a comunidade pode enviar seus votos durante um período de votação de três dias. Se a maioria e, pelo menos, 400 mil votos forem enviados a favor da proposta, é colocada em um contrato bloqueado por tempo e pode ser implementada após um período de espera de dois dias.

Esquema de governança do protocolo (Imagem: Compond Finance)

O fornecimento estimado de circulação de tokens COMP é de quase 4,3 milhões.

Atualmente, COMP possui uma capitalização de mercado de US$ 1,14 bilhão, classificando-o em 38º lugar na tabela da Brave New Coin (BNC), com US$ 82 milhões em volume negociado nas últimas 24 horas.

Quase US$ 3,46 bilhões em criptoativos está bloqueado no protocolo Compound Finance, incluindo bitcoin (BTC), ether (ETH) e dai (DAI). Esse valor total bloqueado (TVL) em contratos torna o Compound no terceiro maior protocolo, atrás de MakerDAO e Aave.

Valor total bloqueado em dólares na Compound (Imagem: DeFi Pulse)

Estatísticas no blockchain para o token COMP mostram variações de transações diárias desde julho de 2020, com mais valores médios e crescentes de transações desde dezembro.

Transações por dia variaram entre dois mil e seis mil nos últimos seis meses. Transações por dia atingiram uma alta recorde de 15 mil em 12 de agosto de 2020, em que o tamanho médio de transações atingiu US$ 80 mil em 11 de setembro.

(Imagem: CoinMetrics)

O valor semanal da rede Kalichkin, da proporção estimada de transações diárias (NVT) no blockchain (linha vermelha do gráfico abaixo) variou entre 50 e 300 nos últimos meses.

Uma clara tendência de baixa na NVT sugere que a moeda está subvalorizada com base em sua utilidade e atividade econômica, que pode ser considerada como um indicador positivo de preço.

Endereços diários ativos variaram entre 1,5 mil para mais de cinco mil desde julho de 2020 e atingiram uma alta recorde de 5,6 mil em 18 de dezembro.

(Imagem: CoinMetrics)

Em relação à atividade de desenvolvimento, a conta no GitHub da Compound possui 35 repositórios. No último ano, houve 50 contribuições no repositório principal por 13 desenvolvedores.

Grande parte das moedas usam a comunidade de desenvolvedores do GitHub. Arquivos são salvos em pastas chamadas de “repositórios” ou “repos”.

Alterações a esses arquivos são registradas com “contribuições” (ou “commits”), que salvam um registro das alterações realizadas, além de quando e por quem.

Apesar de contribuições representarem quantidade e não necessariamente qualidade, um grande número de contribuições pode indicar maior interesse e atividade por desenvolvedores.

(Imagem: GitHub/Compound-Finance/Compound-Protocol)

Análise técnica

Roteiros de desenvolvimento (“roadmaps”) para futuras movimentações de mercado podem ser encontrados em maiores intervalos de tempo, usando médias móveis exponenciais (MMEs), o perfil de volume do intervalo visível (VPVR), pontos de pivô, a Nuvem de Ichimoku e divergências.

COMP possui um histórico limitado de negociação e precisa ser analisado em intervalos menores de tempo, e não via gráfico diário.

Médias Móveis Exponenciais (MMEs) são um indicador técnico de gráfico que rastreia o preço de um investimento ao longo do tempo.

No gráfico de doze horas, a MME de 50 períodos e a de 200 períodos se cruzaram positivamente em 12 de dezembro de 2020, resultando em um aumento de 140%. A resistência superior, embora esteja no modo de descoberta de preço, com base em pivôs anuais, está entre US$ 450 e US$ 550.

Pontos de pivôs são usados para determinar a tendência geral do mercado em diferentes períodos. Assim, se refere à média de alta, baixa e do preço de fechamento do dia anterior de negociação.

Neste momento, o preço duplicou próximo à MME de 200 períodos e ainda não atingiu a MME de 200 períodos desde 2 de janeiro. Se a resistência horizontal do pivô anual a US$ 370 for bem-sucedida, o próximo suporte significativo está em US$ 260 com base em pivôs anuais e na MME de 50 períodos. 

Além disso, existe uma divergência de baixa sutil presente no índice de força relativa (RSI) — que mede a magnitude das recentes variações de preço para avaliar condições de sobrecompra ou sobrevenda — para sugerir um enfraquecimento no ímpeto de alta.

Em relação à Nuvem de Ichimoku, existem quatro métricas essenciais: o preço atual em relação à nuvem, a cor da nuvem (vermelho para baixa, verde para alta), as cruzes Tenkan (T) e Kijun (K) e o período de atraso (“lagging span”).

A cruz Tenkan, ou linha de conversão, é o ponto médio dos maiores e menores preços de um ativo nos nove períodos anteriores. Já a cruz Kijun, ou linha-base, é usada para gerar sinais de negociação quando cruzada com a Tenkan para os 26 últimos períodos.

A melhor entrada acontece quando a maioria dos sinais disparam de baixa para alta, ou vice-versa.

No gráfico de doze horas, as métricas de nuvem, com configurações duplicadas (20/60/120/30) para sinais mais precisos, indicam uma alta. O preço à vista está acima da Nuvem, então a Nuvem indica uma alta, assim como as cruzes T/K.

O período de atraso está acima da Nuvem e do preço à vista. A tendência permanecerá em alta enquanto o preço se mantiver acima da Nuvem, atualmente em US$ 185. O suporte de Kijun também está em US$ 250.

As métricas de tendência de doze horas para o par COMP/USD também estão positivas, pois o preço está acima da MME de 200 períodos e da Nuvem.

A resistência superior, com base nos pivôs anuais, está entre 0,013 BTC e 0,021 BTC.

O perfil de volume do intervalo visível (VPVR) é um indicador que mostra a atividade de negociação ao longo de um período específico de tempo a certos níveis de preço. Assim, mostra o que foi comprado e vendido a esses níveis atuais.

O suporte de Kijun, VPVR e da MME de 200 períodos estão entre 0,0067 BTC a 0,0076 BTC. Além disso, existe uma crescente divergência de baixa presente no RSI para sugerir um enfraquecimento no ímpeto de alta.

Assim como outras plataformas de tomada e concessão de empréstimo com criptoativos, Compound se tornou parte integral do ecossistema de finanças descentralizadas (DeFi).

Compound está em terceiro lugar por valor total bloqueado (TVL), atrás de MakerDAO e Aave, consolidando as três plataformas como as líderes de mercado e as preferidas do público.

Estatísticas no blockchain para o token COMP mostram comportamentos variados nos últimos meses, com um aumento na atividade, coincidindo com um aumento no preço do token nos últimos dias.

Aspectos técnicos tanto para os pares COMP/USD como COMP/BTC mostram uma tendência de alta, pois os preços estão acima da MME de 100 dias e da Nuvem de doze horas.

A resistência superior está em US$ 450 e US$ 550 e 0,013 BTC e 0,021 BTC para os pares AAVE/USD e AAVE/BTC, respectivamente.

O par COMP/USD mostra um forte suporte em US$ 250 com base no pivô anual, na MME de 25 dias e na Nuvem de doze horas. O par COMP/BTC mostra um forte suporte entre 0,0067 BTC e 0,0076 BTC com base no VPVR, na MME de 100 dias e na Nuvem de doze horas.

Novo! Receba Grátis a Newsletter
Crypto Times
Uma newsletter que minera informação para você!

Ao clicar no botão você autoriza o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.

Última atualização por Daniela Pereira do Nascimento - 02/02/2021 - 10:27

Cotações Crypto
Pela Web