Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Bê-a-bá Cripto: o que são tokens?

04/10/2020 - 11:00
Nossa série “Bê-a-bá Cripto” apresenta diversos conteúdos específicos para que você entenda o passo a passo (o bê-a-bá) do mercado cripto (Imagem: Freepik/upklyak)

Tokens são ativos que residem em blockchains e representam um ativo ou uma utilidade. São usados para o financiamento de venda, mas também podem substituir outras coisas.

Investopedia dá alguns exemplos: é possível obter um token que representa x pontos de fidelidade de um cliente em um blockchain usado para gerenciar tais detalhes para uma cadeia de suprimento.

Pode haver outro token que dá direitos ao detentor para que este visualize 10 horas de conteúdos de streaming em um blockchain de compartilhamento de vídeo.

Outro exemplo seria um token que representa outros criptoativos, como um equivalente a 15 BTC em um blockchain específico. Tais tokens são negociáveis e transferíveis dentre os diversos participantes do blockchain.

Operam em um blockchain que atua como um meio de criação e execução de aplicações descentralizadas (dapps) e contratos autônomos, além de serem usados para facilitar as transações.

Confira alguns dos principais tipos de tokens.

Binance Coin (BNB) dá acesso a diversos recursos na corretora Binance. Embora o ativo fosse um token ERC-20, a migração ao Binance Chain (BEP2) aconteceu no fim de abril de 2019 (Imagem: Binance Academy)

Exchange tokens

Tokens de câmbio são ativos que servem como um meio de troca ou participação em certas plataformas.

Corretoras fornecem um desconto sobre taxas de transação, o direito de voto e participação de processos internos como a listagem de novos ativos ou recompensa pelo staking de ativos dentro da plataforma (como uma porcentagem das taxas de transação).

Alguns exemplos de tokens de corretoras são:

– XEM, da corretora japonesa NEM (que serão alterados para tokens XYM)

– Binance Coin (BNB), da corretora maltesa Binance;

– CRO, da corretora Crypto.com;

– Huobi Token (HT), da corretora Huobi;

– OKB, da corretora OKEx; e

– KNC, da rede Kyber.

42% do fornecimento total de tokens da Compound será distribuído durante quatro anos para os que concedem ou tomam empréstimos na plataforma (Imagem: Crypto Times)

Governance tokens

Tokens de governança dão aos detentores o poder de influenciar decisões em relação ao protocolo, produto ou roteiro de desenvolvimento, bem como contratação e mudanças aos parâmetros de governança.

Alguns exemplos de tokens de governança são:

– COMP, do protocolo Compound;

– BAL, do protocolo Balancer;

– YFI, do protocolo Yearn Finance;

– MKR, do protocolo MakerDAO;

– CRV, do protocolo Curve Finance;

– SNX, do protocolo Synthetix; e

– UNI, do protocolo Uniswap.

wibx
Em julho, o utility token WiBX foi lançado pelo Mercado Bitcoin e pode ser usado comercialmente. Disparou mais de 150% em sua estreia. É o maior salto do mundo entre os criptoativos com volume negociado superior a US$ 50 mil em 24 horas (Imagem: Wibx)

Utility tokens

São ativos que dão acesso a um produto ou serviço produzido por uma empresa. A ideia é que usuários utilizem esses tokens — e os serviços ao qual estão ligados — em vez de apenas detê-los em carteiras.

Alguns exemplos de utility tokens são:

WiBX, lançado pela brasileira Wiboo, em que usuários são recompensados por promover suas marcas e serviços preferidos (clique aqui para saber mais);

– Basic Attention Token (BAT) é usado para recompensar criadores de conteúdo por meio da visualização de anúncios (clique aqui para saber mais);

– FIL, da plataforma de “aluguel” espaço em disco rígido Filecoin;

REP, da plataforma de apostas Augur.

A plataforma tZERO opera com um security token nativo chamado TZROP. Esse token é padrão ERC-20 que foi oferecido como um valor mobiliário a investidores qualificados de acordo com leis americanas e internacionais (Imagem: Crypto Times)

Security tokens

São ativos (tokens) considerados como valores mobiliários, que dão, por exemplo, direitos de uma instituição ou empresa a seus detentores.

A diferença principal entre valores mobiliários tradicionais e security tokens é que o token é automaticamente organizado e gerenciado por meio de contratos autônomos.

Alguns exemplos de security tokens são:

OSTKO, da varejista Overstock;

TZROP, da plataforma tZERO.

Quer entender as vantagens de security tokens? Confira os artigos de Alex Nascimento, cofundador do UCLA Blockchain Lab.

O jogador do Brooklyn Nets Spencer Dinwiddie tokenizou seu contrato com a NBA, permitindo que torcedores-investidores obtivessem vantagens e privilégios com a aquisição de seus tokens (Imagem: Wendell Cruz, USA TODAY Sports/Reuters)

Personal tokens

São uma forma de financiamento para que empreendedores tenham o impulsionamento financeiro necessário para desenvolverem seus projetos. Recentemente, a tokenização de capital humano surgiu como uma classe de ativos nova e popular.

Alguns exemplos de tokens pessoais são:

SD26, do jogador de basquete Spencer Dinwiddie;

ALEX, do empreendedor Alex Masmej; e

TINGLES, da influenciadora Laurel Driskill.

Tokenização: você lançaria uma IPO da sua própria vida?

A experiência digital permitirá que fãs do grande universo de Dr. Seuss consigam colecionar pacotes digitais de seus personagens preferidos (Imagem: Facebook/Dr. Seuss)

Non-fungible tokens (NFTs)

Tokens não fungíveis (NFTs) são únicos e não podem ser trocados. O exemplo mais simples são obras de arte. Tente vender às pessoas no Louvre uma pintura de sua mão pela Mona Lisa e você vai passar pela experiência da não fungibilidade.

Então, no mundo cripto, NFTs são basicamente tokens que representam algo único. Os NFTs mais famosos são os de cards colecionáveis e obras de arte:

CryptoKitties;

– cards de times de futebol na Sorare e de basquete na NBA Top Shot;

Rabbids Token da Ubisoft;

– personagens do Dr. Seuss;

– série Doctor Who;

O Poderoso Chefão;

– arte “Right Place & Right Time” por Matt Kane.

Entenda como NFTs estão criando um mercado artístico em cripto e por que estão fazendo tanto sucesso.

Como esses tokens são programados?

Grande parte dos projetos da indústria cripto foi criada no blockchain Ethereum. A rede fornece uma ampla plataforma para que criadores, desenvolvedores e usuários possam aproveitar da tecnologia ao máximo.

Existem dois principais padrões de tokens da rede Ethereum: ERC-20 e ERC-721.

ERC-20 podem ser usados em pagamentos por funções, bens e serviços (como os utility tokens). 

Suas características são fungibilidade (o código do token é o mesmo, apesar de históricos de transações poderem identificar e segregá-los), transferência (podem ser transferidos entre endereços) e fornecimento fixo (não é possível emitir mais tokens e aumentar o fornecimento total).

Já tokens de padrão ERC-721 são tokens não fungíveis. Cada um é único e possui seu próprio código.

Para conferir outros artigos que explicam a você o passo a passo do mercado cripto, acesse “Bê-a-bá Cripto”.

Leia também nossas matérias relacionadas a tokens em geral, tokens de corretoras, tokens de governança, utility tokens e security tokens.

Novo! Receba Grátis a Newsletter
Crypto Times
Uma newsletter que minera informação para você!

Autorizo o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.

Última atualização por Daniela Pereira do Nascimento - 20/10/2020 - 9:47