Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

Casos de uso financeiros e o interesse institucional em DeFi

16/01/2021 - 11:02
Traduzido e editado por Daniela Pereira do Nascimento
Confira, em artigo por Ty Young e Mason Nystrom, da Messari, quais são os principais casos de uso das DeFi (Imagem: Freepik/pikisuperstar)

Parte 1

Concessão e tomada de empréstimos

Protocolos de finanças descentralizadas (DeFi) dão aos usuários a capacidade de tomar e conceder o empréstimo de seus ativos. Atualmente, todo o empréstimo em DeFi está sobregarantido, ou seja, usuários devem apresentar garantias excedentes ao número de ativos que pegam emprestados.

A dinâmica é parecida com uma hipoteca, onde pessoas oferecem sua casa como garantia e recebem um empréstimo. Ao usarem protocolos DeFi, usuários podem postar uma variedade de ativos como garantia e pegar emprestado outros ativos, incluindo stablecoins.

Quando o valor da garantia de um mutuário (recebedor do empréstimo) cai abaixo de uma proporção empréstimo/valor específica, sua garantia será liquidada para garantir que o protocolo continue solvente.

Plataformas de tomada e concessão de empréstimo cripto: Maker, Aave e Compound.

Como funcionam os empréstimos com cripto no setor DeFi?

Uniswap é a principal corretora cripto descentralizada por volume negociado (Imagem: Twitter/Uniswap)

Corretoras descentralizadas

Corretoras descentralizadas (ou DEXs) são mercados de ponto a ponto que permitem câmbios diretos de criptomoedas entre duas partes interessadas.

DEXs visam solucionar problemas inerentes em corretoras centralizadas, como a custódia centralizada de ativos, restrições geográficas e seleção de ativos.

As DEXs mais populares usam sistemas de formação automática de mercado em vez do livro de ofertas tradicional.

Em vez de combinar ordens individuais de compra e venda, usuários podem depositar ativos em um pool que, em seguida, é negociado, em que o preço é determinado com base na proporção entre os ativos no pool.

Tais DEXs permitem que usuários passivamente forneçam liquidez para formar mercados para qualquer ativo na Ethereum, bem como fornecer liquidez sempre disponível a negociadores.

Corretoras descentralizadas: Uniswap, 1inch, SushiSwap, Curve, Kyber e 0x.

Corretoras de criptoativos
podem ser realmente descentralizadas?

DAI é a principal stablecoin descentralizada — não controlada por uma empresa, e sim por participantes do protocolo Maker —, mas perde em volume negociado para tether (USDC) e U.S. Dollar Coin (USDC) (Imagem: YouTube/MakerDAO)

Stablecoins

Stablecoins são criptomoedas que têm o preço estável com outro ativo. Esses ativos podem ser lastreados em moedas fiduciárias, como o dólar americano, outras criptomoedas ou metais preciosos.

A principal vantagem desses ativos é a estabilidade de preço, que é importante porque grande parte das criptomoedas são extremamente voláteis, dificultando seu uso em transações.

As stablecoins mais populares até agora têm preço estável com o dólar americano e, geralmente, existem três tipos de implementação de stablecoins:

– com reservas de fiduciárias (cada stablecoin é lastreada em uma moeda fiduciária em uma conta bancária)

– com reservas de cripto (cada stablecoin é lastreada em criptomoedas em um contrato autônomo)

– algorítmica (cada stablecoin é lastreada em um sistema incentivado que garante que o preço se estabilize em seu valor-alvo).

Além da estabilidade de preço, stablecoins fornecem sistemas de pagamentos internacionais que são mais rápidos, baratos e seguros do que redes tradicionais como SWIFT.

Stablecoins: DAI, USDT, USDC.

Synthetix é o quinto maior protocolo DeFi, responsável pela criação de ativos sintéticos que imitam o valor de outros ativos já existentes (Imagem: Twitter/SynthetixMemes)

Ativos sintéticos

Ativos sintéticos são instrumentos financeiros que simulam o valor de outro ativo. Existem muitas formas de essa simulação de valor ser atingida. Porém, é atingida por meio do uso de oráculos de preço, que asseguram que o ativo rastreie seu valor-alvo.

Existem possibilidades ilimitadas aos tipos de ativos sintéticos que podem ser criados usando criptoativos e a existência desses ativos em blockchains públicos, como a Ethereum, indica um acesso mais aberto para investidores em todo o mundo.

Antes da criação de ativos, apenas alguns tinham acesso e permissão a mercados financeiros globais.

Ativos sintéticos podem fornecer valor a investidores, como a alocação de capital mais diversificada, oportunidades de fazer o hedging contra o risco e ferramentas que aumentam o rendimento dos investimentos.

Plataformas de ativos sintéticos: Synthetix e UMA.

(Imagem: YFI Pulse)

Derivativos (contratos de opções, futuros e perpétuos)

A definição das finanças tradicionais de um “derivativo” é um contrato que deriva seu valor do desempenho de uma entidade implícita. Essa entidade pode ser um ativo, índice ou taxa de juros e, geralmente, é simplesmente chamada de “implícita” (ou “underlying”, em inglês).

Apesar de a força, até agora, ainda estar limitada a outros protocolos DeFi, como empréstimos, corretoras e stablecoins, volumes em corretoras de derivativos aumentaram dez vezes ao longo de 2020.

Plataformas como Synthetix, Yearn Finance e Hegic ajudaram a validar derivativos de DEXs no setor DeFi.

Plataformas de opções e futuros: Hegic, Opyn, Synthetix, Perpetual Protocol, FutureSwap, Alpha Homora.

Após o acontecimento em que o mercado é baseado acontecer, o resultado do acontecimento é determinado pelo oráculo de preço da Augur. Quando o resultado for determinado, negociadores podem encerrar suas posições e coletar seus pagamentos (Imagem: Facebook/Augur)

Mercados de previsão

Mercados de previsão são plataformas criadas para negociar o resultado de acontecimentos como jogos, eleições etc. Os preços de mercado podem indicar o que o público acha sobre a probabilidade de um acontecimento.

A principal diferença entre mercados de previsão descentralizados e mercados de previsão centralizados é que os descentralizados são criados em blockchains públicos, ou seja, não há controle sobre eles por uma autoridade única.

Isso torna essas redes mais flexíveis e seguras, baratas, abertas, não custodiais e resistentes à censura.

Outras vantagens incluem taxas mínimas negociadas, próximas a zero ao longo do tempo; a possibilidade de alguém negociar e criar mercados sobre qualquer resultado; participantes não precisam confiar em ninguém com a custódia de seus fundos; e mercados de previsão descentralizados são mais resistentes à censura e corrupção.

Até hoje, mercados de previsão foram os que menos ganharam atenção dos protocolos DeFi citados acima.

Mercados de previsão descentralizados: Augur, Gnosis e Polymarket.

Em 2021, a CME anunciou que irá lançar contratos futuros de ether, permitindo que investidores tenham exposição à criptomoeda, mas não se exponham diretamente a ela (Imagem: CME Group)

Por que instituições podem se interessar nas DeFi

2020 foi considerado (pela comunidade cripto) como o ano que as instituições passaram a comprar bitcoin e existem sinais de que a Ethereum irá receber interesse adicional com o lançamento dos futuros de ether pelo CME em 2021.

Esses sinais podem demonstrar que instituições estão andando por um caminho que começa com o bitcoin, leva à Ethereum para, no futuro, chegar em DeFi. Um exemplo recente é o bate-papo “Desenvolvimento de Estratégias com Criptoativos” do The Block.

Durante o evento, o líder da divisão de mercados cripto do Morgan Stanley afirmou: “Eu diria que uma evolução dessa dinâmica atual, em termos de interesse [em DeFi], irá continuar ao longo de 2021” e “acredito que parte da tecnologia dessa fase DeFi certamente será utilizada de formas mais regulamentadas ao longo de 2021 e em 2022”.

Embora DeFi sejam uma indústria crescente em cripto, esses foram comentários positivos e sinais de amadurecimento do mercado.

É importante mencionar que, diferente do bitcoin e do ether, que são difíceis de analisar usando modelos financeiros tradicionais, muitos tokens DeFi podem ser considerados como ativos de capital, o que permite que formulemos discussões sobre o valor desses ativos usando métodos de valoração tradicionais.

Isso permitiria que investidores criem análises de fluxo de caixa descontado, análises de comparação entre empresas e análises de comparação entre transações para valorar esses ativos.

Conforme estruturas populares ganham força e os padrões de valoração melhoram, ativos DeFi irão atrair muita atenção de investidores e instituições financeiras.

Um possível futuro para DeFi em 2021

2021 está se mostrando um grande ano para DeFi. Conforme instituições alocaram em bitcoin em 2020 e existem cerca de 1,2 milhão de usuários em DeFi, o setor pode estar pronto para o sucesso.

Embora o número de usuários DeFi esteja limitado pelos riscos e pela complexidade de interagir com esse ecossistema, ambos os problemas continuarão a ser abordados em 2021.

Conforme mais capital, desenvolvedores e usuários entrarem para DeFi, os desafios de usar protocolos financeiros descentralizados devem diminuir.

Melhores interfaces de usuários em agregadores DeFi e uma melhor educação dos usuários em DeFi resultará em uma ampla participação e possível crescimento de usuários em DeFi.

Volume mensal de DEXs por projeto (Imagem: Dune Analytics)

 

Valor total bloqueado (em dólares) em DeFi (Imagem: DeFi Pulse)

Apesar de esses novos protocolos financeiros serem experimentais e terem seus problemas, DeFi estão desenvolvendo aplicações interessantes, com casos de uso verdadeiros que têm o potencial de democratizar as finanças.

Embora, atualmente, instituições apenas observaram o bitcoin e a Ethereum, irão gradualmente aprender mais sobre protocolos DeFi e, felizmente, usá-los para criar um sistema financeiro mais aberto e transparente.

Um sistema financeiro descentralizado irá reduzir taxas e melhorar as ineficácias existentes, mas irá, principalmente, fornecer acesso a serviços financeiros a milhões de pessoas que, atualmente, estão desassistidas.

Fontes úteis sobre DeFi

Cada analista ou investidor DeFi depende de uma variedade de ferramentas para se manter atualizado sobre esse ecossistema, os ativos e o mercado cripto como um todo. A equipe da Messarilistou algumas das principais ferramentas para cada analista cripto.

Messari DeFi Screener é necessário para cada analista, investidor ou entusiasta de cripto. O painel usa a metodologia da Messari para fornecer a representação mais precisa do ecossistema DeFi.

Leia também:

Setor DeFi atingiu seu auge antes de cair novamente no terceiro trimestre

NFTs pavimentaram o caminho para “tokens de comunidade” no terceiro trimestre

Novo! Receba Grátis a Newsletter
Crypto Times
Uma newsletter que minera informação para você!

Autorizo o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.
Matéria Original: "Explain it like I am 5: DeFi"

Última atualização por Daniela Pereira do Nascimento - 12/01/2021 - 11:02