Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView
Cotações por TradingView

“Acabou matéria do Jornal Nacional”, diz Bolsonaro sobre atraso em divulgação de casos de Covid-19

05/06/2020 - 20:11
Jair Bolsonaro
“Não interessa de quem partiu, é justo sair 10 da noite para sair o dado completamente consolidado”, afirmou (Imagem:Flick/ Alan Santos/PR)

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta sexta-feira, em tom irônico, que o Jornal Nacional, da TV Globo, não poderá mais divulgar o número oficial de vítimas da Covid-19 no Brasil depois que o Ministério da Saúde passou a divulgar os dados da epidemia às 22h, atrasando uma publicação que anteriormente ocorria às 19h.

“Acabou matéria no Jornal Nacional”, disse Bolsonaro em entrevista a jornalistas quando perguntado sobre o atraso na divulgação dos dados. “O Jornal Nacional gosta de dizer que o Brasil é recordista em mortes”, acrescentou.

Perguntado se a decisão sobre o novo horário teria partido do Palácio do Planalto, Bolsonaro não respondeu diretamente, mas defendeu o novo horário como mais adequado.

“Não interessa de quem partiu, é justo sair 10 da noite para sair o dado completamente consolidado”, afirmou.

O Ministério da Saúde adiou para as 22h a divulgação dos dados relativos à epidemia de coronavírus pelo terceiro dia consecutivo nesta sexta, após dois recordes diários seguidos no registro de mortes provocadas pela doença, que levaram o Brasil a se tornar o terceiro do mundo em número de óbitos, com mais de 34 mil vítimas fatais da Covid-19.

No início da epidemia, o Ministério da Saúde divulgava os dados diários da Covid-19 por volta das 17h e concedia entrevista coletiva diariamente com o então ministro da pasta, Luiz Henrique Mandetta, e os principais secretários responsáveis pelo enfrentamento à doença.

Depois que Mandetta foi demitido por desavenças com o presidente Jair Bolsonaro quanto às estratégias para conter o novo coronavírus, principalmente devido à contrariedade do presidente ao isolamento social, o ministério passou a divulgação dos números para as 19h na gestão de Nelson Teich, com entrevistas coletivas quase diariamente.

No entanto, com a saída de Teich em 15 de maio após menos de um mês no cargo –também devido a desavenças com Bolsonaro–, o Ministério da Saúde passou a atrasar rotineiramente a divulgação dos números e também deixou de realizar entrevistas diárias.

Na quarta-feira o ministério alegou problemas técnicos para adiar a divulgação dos dados de 19h para 22h, mas na quinta não houve qualquer explicação para o fato de os números também só terem saído tarde da noite –portanto depois do horário dos principais telejornais.

O ministério informou nesta sexta-feira, em nota, que os dados serão novamente informados às 22h, alegando que a pasta precisa, em alguns casos, fazer checagens junto aos gestores estaduais que alimentam a plataforma da pasta.

O Ministério da Saúde está sob comando interino do general Eduardo Pazuello desde a saída de Teich, e também passou 10 dias sem secretário nacional de Vigilância em Saúde até a nomeação nesta sexta do professor da Universidade Federal da Paraíba Arnaldo Correia de Medeiros, um indicado de partidos do centrão.

Enquanto isso o coronavírus avança pelo Brasil, tendo atingido 75% dos municípios do país, de acordo com o ministério.

O Brasil é o segundo país do mundo com mais casos de Covid-19, com quase 615 mil casos, atrás apenas dos Estados Unidos, e caminha para se tornar também o segundo no número de óbitos. Atualmente o país tem menos óbitos que EUA (108.068) e Reino Unido (40.261).

Na véspera, o Brasil teve novo recorde de mortes registradas em 24 horas, com 1.473 óbitos, superando marca atingida no dia anterior, de 1.349 mortes.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro?

Receba de segunda a sexta as principais notícias e análises. É grátis!
Autorizo o Money Times a utilizar os dados fornecidos para encaminhar conteúdos informativos e publicitários.

Última atualização por Vitória Fernandes - 05/06/2020 - 20:11